Criação de logomarca: a importância de um profissional qualificado nesse processo

Criação de logomarca: entenda a importância de um profissional qualificado nesse processo

O logotipo é o primeiro contato que alguém tem com uma marca ou empresa. De acordo com a Larissa Geus, da WodArt Curitiba, o elemento funciona como uma foto de perfil da companhia. E, obviamente, que ninguém quer sair feio nela, não é mesmo? Por isso a importância de um profissional qualificado que auxilie na criação de logomarca. Afinal, ele possui o conhecimento único que irá gerar valor e posicionar a sua marca.

Foi com esse pensamento que criei a identidade visual com a Larissa, pois sabia que meu projeto estaria em boas mãos. Por isso, realizei uma entrevista completa com a profissional, para que todas as dúvidas sejam sanadas. Confira:

SP – Qual o processo de criação de logomarca?

LG – A maioria dos clientes já possuem uma ideia inicial quando chegam até mim. Geralmente mandam imagens de inspiração ou até fazem um esboço a mão para que eu possa entender o conceito. A partir disso, dou algumas sugestões e conversamos sobre cores, tipos de fontes etc.

SP – Qual o tipo de logo ideal?

LG – Cada empresa tem uma necessidade, um público e um produto específico. Desta forma, todo logotipo é pensado de forma diferente. Porém, algumas coisas são fundamentais, que na minha opinião, todos deveriam ter. Como por exemplo, um símbolo, que é redução do logotipo. Mesmo utilizando só ele, é possível reconhecer a marca. Em relação as cores e fontes, não existe uma fórmula perfeita. O ideal sempre será o que melhor transmitir o posicionamento da marca.

Cada empresa tem uma necessidade, um público e um produto específico. Desta forma, todo logotipo é pensado de forma diferente.

Larissa de Geus, WodArt Curitiba.

SP – No caso da construção do logo Escritora Suelen de Paula, pode contar um pouco mais como foi esse processo?

LG – A Suelen já tinha uma ideia inicial. Me falou que pensava em trabalhar com o “SP”, abreviação do nome dela, em letra cursiva e que tinha preferência pela cor rosa. Durante a conversa, sugeri utilizarmos uma caneta tinteiro como símbolo e ela amou a ideia. A partir disso, pensei em como juntar todas essas informações, misturar tipos de fontes e ainda dar um toque especial na caneta, para que não fosse só uma “caneta assinando”.

Logomarca Escritora Suelen de Paula – produzido pela Larissa, da WodArt Curitiba.

SP – Qual o o processo para a escolha da fonte, ícone e cores?

LG – Com relação a cor, a Suelen já tinha uma preferência pelo rosa. Quanto às fontes, sempre gosto de utilizar uma cursiva junto com uma mais quadradinha para ficar harmônico. Como ela tinha preferência pelo “SP” cursivo, no restante do logo optei por utilizar fontes sem serifa, com poucos detalhes.

Na caneta, minha primeira opção foi utilizar um coração no final, para dar um toque feminino e afetivo. Porém, assim que mostrei para a Suelen, ela teve a ideia de usar um trevo de 4 folhas para fazer referência ao seu primeiro poema publicado: Treze. E o resultado ficou incrível. Ela amou.

Quanto às fontes, sempre gosto de utilizar uma cursiva junto com uma mais quadradinha para ficar harmônico.

Larissa Geus, WodArt Curitiba

SP – Como todos esses elementos conversam com a mensagem que a cliente, no caso eu, quer passar?

LG – Acho que sem querer, já respondi um pouquinho sobre isso nas perguntas anteriores (RISOS). Utilizamos a caneta como representação ao serviço que a Suelen oferece, o trevo como referência ao poema, a letra cursiva representando uma assinatura e as cores rosa e preto, que representam um pouco da personalidade da autora.

SP – Em algum momento pensou em seguir por uma linha diferente?

LG – Não. Na primeira conversa que tive com a Suelen, nossas ideias se alinharam de uma forma surpreendente.

 Criação de logomarca: a importância de um profissional qualificado nesse processo
Capa produzida para publicação na Amazon com arte da Larissa Geus, WodArt Curitiba.

SP – Você também foi responsável pela criação de marcadores de páginas e a capa Bia e Flávio, muito elogiada pelos leitores atualmente. Como foi o desenvolvimento desses personagens que viraram ícones?

LG – Primeiramente, gostaria de dizer que fiquei muito feliz com essa repercussão. O desenvolvimento da capa foi bem parecido com o do logo. A Suelen me enviou o conto para que eu pudesse ler e também uma foto de uma caneca com a ilustração de um casal, que era mais ou menos como ela imaginava. Depois que li o conto, já criei um estilo de personagem na minha mente e comecei a buscar referências de estilos e cores que pudessem retratar aquilo que eu estava imaginando. Vários aspectos da arte fazem referência ao conto. Como por exemplo, a posição dos personagens, um de costas para o outro, que só quem leu o conto vai entender do que eu estou falando (RISOS).

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Suelen de Paula

Suelen de Paula

Suelen é jornalista e escritora. Apaixonada por livros e séries, compartilha sua jornada Antes dos 30 anos pelo IG Literário @antesdos30_suh .

Deixe um comentário