Hellica Miranda e sua forma de criar significados por meio da arte

Conheça Hellica Miranda e sua forma de criar significados com sua arte
Foto: Divulgação\Autora

Em outubro de 2019, no evento de lançamento do Madrepérola – coletânea em que lancei meu primeiro poema oficialmente – conheci uma menina que se destacou não só por seu talento mas também por sua doçura, visual autêntico, e, uma simpatia infinita. Lembro de ter me encantado com a forma perfeita em que ela fazia o delineado dela, e, ainda, pedi algumas dicas. Com seus cabelos ruivos e maquiagem impecável, parecia-se muito com uma bonequinha. Aos 21 anos, a fotógrafa, estudante de jornalismo e também escritora, Hellica Miranda, possui uma meta honesta para com sua jornada, criar significados por meio de sua arte.

Seu nome é singular, único, escolhido por sua irmã mais velha, Hellen, que queria nomeá-la de forma que combinasse com o nome dela. Deu certo, e, além de muito bonito e diferente, o nome se destacou muito e permanece, na minha humilde opinião, como uma contribuição e reforço do que Hellica faz diariamente para a arte no mundo. “Quando eu era mais nova, ficava chateada por não encontrar um significado para ele no Google, mas, hoje em dia, eu até prefiro assim. Gosto de saber que estou vivendo criando significados para ele e para várias outras coisas”, ela relatou em sua entrevista enviada a mim por e-mail.

Recententemente, a autora lançou o seu novo livro, Two Souls, que só por sua capa, descrição e sinopse, promete mexer com os corações dos leitores e criar diversos significados. Sem mais delongas, confira a entrevista completa com a autora e saiba mais sobre esse lançamento.

Além de Two Souls, a autora possui mais duas obras publicadas: Arquivo Confidencial – Imperfeita Adolescência e Assombrada.

Leia também: TREZE: o poema que me deu sorte

SP – Seu livro novo, o Two Souls, ele parece ser muito romântico, isso mesmo?

HM – Two Souls é, sim, um livro de romance. Mas acredito que vá além disso. Quando comecei a contar a história da Elle e do John, percebi que tinha muito mais do que o romance dos dois ali. A relação entre eles é importante, é o que move a história, mas a relação deles com a arte também é. E essa relação, a relação que nós temos com a arte, é algo que eu quero passar sempre que for possível! Então Two Souls é uma história sobre amor e arte.

Foto: Divulgação\Autora

SP – E essa capa fofa de Two Sounds? Como foi o processo de construção dela?

HM – A capa de Two Souls saiu direto dos meus sonhos através das mãos de uma amiga incrível e muito talentosa, que eu vou chamar de “Menina Mari” para sempre, a Teresa Guerra. Eu nem precisei falar para ela o que estava pensando para a capa, porque ela já tinha decifrado, estava pensando a mesma coisa e criando uma arte muito melhor do que eu poderia imaginar. É a representação de uma metáfora que os protagonistas apresentam no livro, e tem um significado ainda maior conforme a história se constrói.

SP – Como foi o processo de escrita deste livro, o que te inspirou?

HM – Não comecei esse livro planejando que ele fosse o que se tornou, mas, conforme eu me aproximava dos protagonistas e, no momento em que estava escrevendo, em momentos diferentes da pandemia, com todas as questões que ela trouxe, principalmente psicologicamente, também me aproximava ainda mais da música, das produções audiovisuais, dos livros, da arte no geral. Tudo isso influenciou para que eu quisesse — e tentasse — passar nessa história um pouquinho desses vários sentimentos. E Two Souls não foi uma história que eu construí sozinha, como quase nenhuma é. Contei com o apoio constante (e por “constante” eu quero dizer “literalmente 24 horas”) dos meus “consultores criativos”, melhores amigos, braços direitos… essas pessoas também são minha inspiração. Provavelmente a maior.

SP – No dia a dia o que te inspira? Quais as principais referências para você na literatura?

HM – Minhas maiores inspirações vêm da própria arte: da música, das artes plásticas, do cinema, até da arquitetura. E também das pessoas, porque criamos o tempo todo, e a mente humana é capaz de coisas incríveis.

Gosto de muitos autores e de gêneros diferentes. Sou apaixonada pela escrita e pelas obras da Gillian Flynn, de Garota Exemplar. Ela escreve thriller, mistério, e nunca li algo dela que não tenha me prendido nas primeiras linhas. Sempre quero devorar tudo que ela escreve e, inclusive, sofro porque ela não tem mais livros publicados. Mas sou também muito fã da Cassandra Clare, de Instrumentos Mortais, e do Rick Riordan, de Percy Jackson. Acho incrível como eles construíram universos completos que arrebataram fãs no mundo inteiro. Outra autora por quem eu sou doidinha é a Agatha Christie, porque ela é simplesmente genial.

Stephanie Perkins, Rainbow Rowell e David Levithan são super inspirações quando falamos de romance contemporâneo.

SP – Pode comentar um pouco sobre seus outros livros? Onde podemos encontrá-los? E como podemos te acompanhar?

HM – Meus outros livros são Arquivo Confidencial – Imperfeita Adolescência (de 2020) e Assombrada (desse ano). Ambos já tinham sido publicados antes, mas foram reformulados, ganharam novas caras e edições definitivas. Os dois falam sobre amizade e conflitos da adolescência, mas cada um à sua maneira: Assombrada é uma ficção fantástica, com bruxas e um mundo mágico meio secreto na Inglaterra. Arquivo Confidencial é narrado a partir das vidas de cinco personagens diferentes e suas relações uns com os outros, com os pais, com os amigos e com a realidade. Estão disponíveis nas principais lojas on-line e como e-book no Kindle!

Sempre posto as novidades no meu Instagram (@hellicamiranda) e, agora que Two Souls foi publicado e abriu as portas do “hellicaverso”, o universo compartilhado entre algumas das minhas histórias, também compartilho por lá (@hellicaverso). Também mantenho o Wattpad sempre atualizado com o que surge no meio do caminho!

Foto: Divulgação\Autora

SP – Algo a acrescentar?

HM – Só convidar a quem quiser para conhecer um pouquinho mais do “hellicaverso”! No Wattpad, temos 8 publicações, e meus três livros são gratuitos para quem é Kindle Unlimited.

Depois de Two Souls, novas histórias — que se conectam — chegam em breve, o que inclui a continuação de Arquivo Confidencial – Imperfeita Adolescência!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Suelen de Paula

Suelen de Paula

Suelen é jornalista e escritora. Apaixonada por livros e séries, compartilha sua jornada Antes dos 30 anos pelo IG Literário @antesdos30_suh .

Deixe um comentário