“Menos julgamento e mais benevolência”, aponta a autora Trycia Mello

“Menos julgamento e benevolência”, aponta a autora Trycia Mello em entrevista

Como boa sagitariana, regida pelo fogo, com espírito de liberdade, a autora Trycia Mello esbanja pensamento crítico e um desejo simples, porém, muito importante nos dias atuais: “menos julgamento e mais benevolência”. Nascida em Irati (PR) e residente atual de Taubaté (SP), aos 39 anos, mãe de um filho de 17 anos, a escritora acumula diversas funções em seu currículo: professora de história, sociologia, filosofia, muito mais e ainda responsável por fazer o melhor Pierogi do Sul do Brasil e do mundo. E foi assim, com todas essas paixões e aptidões que ela iniciou e continua dando vida ao IG Massa&Poesia. Confira a entrevista completa de hoje:

SP – Como surgiu sua carreira de escritora?

TM – Sempre gostei de escrever, mas com o pensamento que a escrita é apenas intuitiva. Em 2016 foi minha primeira publicação oficial por uma Editora de SP. A partir daí, comecei a estudar mais sobre escrita e me aprimorar nos diversos gêneros.

As que ficavam comestíveis, deixava em cima da mesa para a família provar, já as que não davam, affffffffffff… eu enterrava no fundo do quintal, ficava bem quietinha, com cara de paisagem quando a Mãe perguntava”,

Trycia Mello.

SP – Qual o seu estilo de escrita?

TM – Poesias, contos e microcontos (romances e de terror).

“Menos julgamento e benevolência”, aponta a autora Trycia Mello em entrevista
Imagem retirada do Instagram da Autora @massaepoesia.

SP – Como surgiu o Massa&Poesias e como é para você unir essas duas paixões?

TM – Preciso começar a te contar desde que eu era criança. Seeeeenta, que lá vem a história (risos). Já pensou começar a cozinhar escondido com 11 anos? Pois foi assim que comecei. Eu assistia a um programa culinário que a Ana Maria Braga apresentava, e que durava a tarde toda. Minha Mãe trabalhava como consultora de produtos de beleza e meu Pai era Vigilante bancário. Não tínhamos muitas condições de comprar ingredientes, sempre tiramos muitos alimentos da terra mesmo, que plantávamos com amor e colhíamos com prazer.

Curiosa e cheia de ideias, eu testava as receitas que via na TV. Óbvio que nem sempre davam certo! As que ficavam comestíveis, deixava em cima da mesa para a família provar, já as que não davam, affffffffffff… eu enterrava no fundo do quintal, ficava bem quietinha, com cara de paisagem quando a Mãe perguntava: “Onde está o leite condensado que eu comprei semana passada?”, neste momento ouvia-se até as batidas do meu coração (muitos risos).

Uma coisa é certa, o solo daquele quintal é fértil até hoje (hahah)

Bem… Já com as massas frescas, tudo começou na cozinha da minha casa em 2012, quando morava em Curitiba, num clique nos pensamentos, enquanto fazia macarrão com meu Pai. Mas como unir minhas duas paixões: massa fresca e escrita?

Entre uma conversa e outra, eis que surge:

Comida de verdade e literatura, uma combinação perfeita para alimentar o corpo e a alma, então vem o nome *Massa & Poesia – para alimentar o corpo e a alma*.

SP: Ano passado, você em parceria com alguns autores iniciou um projeto de vídeos pelo IGTV chamado Triálogo, correto? Conte um pouquinho como funciona esse projeto e como surgiu a ideia?

TM – Num dia de junho, minha amiga Jeane Lima abordou o tema diálogo entre duas amigas, de forma poetizada, nossa sintonia é muito boa, então resolvemos dialogar sobre temas do nosso dia a dia. Em pouco tempo nosso amigo escritor Rafa também se interessou e, logo após, o escritor e aspirante a diretor de cinema Renato também chegou ao grupo. De cara ele criou o neologismo Triálogo para identificar os três que sempre poetizavam temas e apareciam nas telas, e ficou responsável pela decupagem e direção das cenas. Aos poucos ele veio dando as caras e de vez em quando aparece nos episódios. Somos um Triálogo composto de 4 escritores, igual os três mosqueteiros, que no fim são quatro (risos).

O Triálogo tem a proposta do diálogo aberto, para todos, na magnitude da palavra mesmo, todos os assuntos, para todas as pessoas, com um viés de pesquisa e também de poesia, para desmistificar temas, sem perder a poesia que há na vida.

São tantos rótulos, limitações e bandeiras, que às vezes esquecemos do “SER HUMANO” e do objetivo da nossa estadia neste plano, que é ser feliz com bondade”,

Trycia Mello.

SP – Além disso, em que outros projetos podemos acompanhar a escritora Trycia Mello?

TM – Vocês podem acompanhar os microcontos narrados, em parceria com a minha amiga Jeane, sou contadora de histórias para crianças e também, como Falanges de Padilha, escrevo poesias eróticas. Em breve haverá o lançamento de um livro de microcontos, meu primeiro livro, participação em 2021 em antologias de terror, romance, bruxas, microcontos, de homenagem e vários outros, que no caminho eu explico. 🙂

Leia também: Dani Medina: conheça a autora que se inspirou em sua história para seu primeiro livro

SP – No dia a dia, em suas postagens, podemos acompanhar mensagens relevantes como feminismo, arte e sexualidade. Como encara os temas e de que maneira isso influencia em sua forma de se expressar?

TM – Como boa sagitariana, regida pelo fogo, com espírito de liberdade, acredito que o ser humano é uma vida, independente do credo, raça, gênero, biotipo, etc. São tantos rótulos, limitações e bandeiras, que às vezes esquecemos do “SER HUMANO” e do objetivo da nossa estadia neste plano, que é ser feliz com bondade. Todos temos histórias e viveres, e cabe a cada um sucumbir dentro de suas experiências, ou transformá-las em ferramentas de igualdade/equidade, de prazer, de alegria e informação. Acredito que a tríade citada por você (feminilidade/arte/sexualidade) é um aprendizado contínuo, sem rótulos, libertário, que, a partir do momento que se conhece sem limitações/convenções, reflete numa vida igualitária, de respeito e reciprocidade, com menos julgamentos e mais benevolência.

Há uma rede de pessoas que me auxiliam nesta caminhada de aprendizado contínuo e acredito que estou engatinhando ainda. O caminho é longo, mas, bora ser feliz, um dia de cada vez, na intensidade máxima de cada experiência.


SP – Algo a acrescentar?

TM – Sou membro ABERST, colunista do blog EmContos, corretora ortográfica, expert em massas frescas, entusiasta da meliponicultura e das PANCS, protetora de animais, palestrante voluntária no setembro verde (sobre doação de órgãos) e setembro amarelo (prevenção ao suicídio), apaixonada pela vida no campo, que no fim do dia só precisa de uma rede preguiçosa e uma taça de vinho, ao som de um bom e velho rock’n’roll.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Suelen de Paula

Suelen de Paula

Suelen é jornalista e escritora. Apaixonada por livros e séries, compartilha sua jornada Antes dos 30 anos pelo IG Literário @antesdos30_suh .

Este post tem 6 comentários

  1. Tatiane Gimenes

    Trycia é um SER HUMANO incrível, cheia de talentos e admirável. Sou consumidora da sua massa e da sua poesia, garanto que ela faz ambos com excelência! Parabéns pela entrevista, Suh. 👏🏻

      1. Trycia Mello

        Gratidão pela oportunidade e pelo belíssimo trabalho no seu site. Você é sensacional, Suh.

    1. Trycia Mello

      Ahhh Tati, gratidão por tanto carinho, minha mana paulistana.

  2. Marlene franco

    Tricia e uma mulher maravilhosa que tive o prazer de conhecer , com um coração enorme …..voce merece tudo que a de bom Patrícia te adoro ……saudades

Deixe um comentário