Processo criativo: conheça os meus e as diferenças entre eles — Parte 3

Assim como prometido, hoje eu venho finalizar a série de posts que relatam as diferenças entre um processo criativo e outro dos meus textos.

Ao todo foram três contos publicados em diferentes antologias literárias e ambos possuem processos de criação muito singulares, além de leitores betas distintos que me ajudaram muito durante todo o processo criativo — sem eles eu nada seria.

terceiro e último texto, o qual irei falar sobre hoje aqui, foi publicado em uma antologia de contos de poesias em 2018 e o seu processo criativo foi o mais rápido de todos, pois eu sabia exatamente sobre o quê queria escrever, já tinha alguns esboços e sabia como fazê-lo.



O processo criativo do meu poema:

Processo criativo: conheça os meus e as diferenças entre eles — Parte 3

Assim como eu não era fã de terror, tinha até um certo “medo” de coisas do gênero e aceitei o convite como um desafio pessoal, escrever um poema também foi um desafio que eu me dispus a encarar já que não tinha familiaridade alguma com esse gênero textual.

Mal sabia que eu me encontraria no poema… Em pequenos versos descobri que na poesia eu poderia ser do jeitinho que sempre fui: dramática e intensa. Essa foi uma descoberta libertadora e que valeu a pena topar, pois, ao longo de estrofes escritas e reescritas, eu pude transcrever meus sentimentos de forma direta e arrebatadora.

Eu tinha em mente exatamente o tema sobre o qual escreveria, tinha até algumas anotações acerca do assunto e sabia onde queria chegar: o relato de uma mulher vítima de violência doméstica. Na época eu ainda não tinha sofrido nada do tipo, mas queria usar as minhas palavras para representar o grito de vitória de muitas mulheres que sofrem diariamente. Minha mãe me ajudou no processo de construção do poema e o organizador da antologia fez pouquíssimos ajustes, o que esse processo criativo ser o mais rápido.

Confira: Processo criativo: conheça os meus e as diferenças entre eles — Parte 2

Processo criativo: conheça os meus e as diferenças entre eles — Parte 3

Quando eu decidi me aventurar na escrita desse gênero textual, além do tema abordado, eu tinha em mente que esta seria uma espécie de “despedida” do meio literário como autora por um tempo. Eu estava um pouco desanimada com tudo e decidi dar uma pausa, sequer divulguei a venda de livros após o evento como de costume… E para a minha surpresa, no ano seguinte, este poema ficou entre os dez melhores e mais votados desta antologia no prêmio literário promovido pela Andross Editora, o que me deixou extremamente feliz e motivada a não desistir, reavivou a minha vontade de continuar produzindo…

O nome desse poema é Paladina e conta a história de uma mulher que teve coragem, denunciou o seu agressor e, mesmo corrompida, o viu atrás das grades.

Para conhecer ou adquirir o exemplar que contém o meu primeiro conto publicado, basta acessar a aba intitulada “as publicações” aqui em cima, na barra de menu do blog. Lá é possível você encontrar informações acerca do livro, a sinopse do meu conto e como garantir o seu exemplar. Qualquer dúvida é só mandar mensagem pelo formulário da aba “contato” ou um DIRECT no Instagram).

Eu amei dividir esses momentos com vocês, relembrei desafios e experiências importantes que me enriqueceram nessa jornada literária como escritora.

Você já sabia que sou escritora? Conhece algum dos meus trabalhos? Me conta tudo aqui nos comentários!!! 😍

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Tatiane Gimenes

Tatiane Gimenes

Tatiane é escritora, professora e idealizadora do Blog Escritopias. Entre uma leitura e outra, ela divide a sua paixão por escrever com o seu amor pela Educação. Sua missão é divulgar a literatura e a cultura por meio das suas escritas.

Deixe um comentário